terça-feira, 11 de abril de 2017

Os desafios do turismo e a mobilidade urbana

Lisboa e Porto, que já tinham uma forte pressão de tráfego, têm agora a pressão acrescida dos turistas que avidamente procuram conhecer o máximo das cidades, muitas vezes no menor tempo possível.
Os números que Portugal tem apresentado ao nível do turismo são impressionantes e o mais incrível é que a tendência é para continuarem a crescer alavancados também na diversificação crescente dos mercados emissores.
São excelentes notícias para aquela que é a principal indústria nacional a criar riqueza e em exportações que precisa, por isso, de ser acarinhada por todos para que possamos maximizar os seus benefícios.
O uso da expressão “acarinhar” é propositado para reforçar a ideia de que precisamos de gerir este filão do turismo com algumas cautelas para evitarmos que se esgote demasiado depressa ou que se transforme numa bolha que corra o risco de rebentar.
Temos assistido mais vezes do que seria desejado, ao longo das três últimas décadas, à implosão de “bolhas” e aos efeitos desastrosos que provocaram, factos que vale a pena termos em mente quando estamos perante a formação potencial deste tipo de fenómenos.
O crescimento do turismo em Portugal tem uma componente muito importante que resulta do trabalho que os governos e as autarquias têm vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos, com especial destaque para o que tem sido feito em Lisboa e no Porto. É, de facto, impressionante verificar a dinâmica de ambas as cidades e o esforço que as autarquias têm posto no incremento da qualidade daquilo que as cidades têm para oferecer aos residentes, aos seus utilizadores habituais e aos turistas.
Por outro lado, o crescimento do turismo em Portugal resulta, também, da fuga de turistas de destinos, até há pouco tempo muito procurados, por estarem próximos de zonas de conflito ou, pelo menos, por se terem tornado aparentemente menos seguros.
Talvez por isso, há já quem queira notar que a pressão turística a que Lisboa e Porto estão sujeitas a começar a ultrapassar a escala do razoável. Estas suposições são, no entanto, exageradas, dado que ainda temos capacidade para muito mais. Assim consiga existir uma articulação entre os diversos instrumentos de gestão urbana. Entre eles, destaco, por razões óbvias, a questão da mobilidade urbana.
Lisboa e Porto, que já tinham uma forte pressão de tráfego por parte dos utilizadores habituais, têm agora a pressão acrescida dos turistas que avidamente procuram conhecer o máximo das cidades, muitas vezes no menor tempo possível. E essa pressão faz-se não só sobre o espaço público, mas também ao nível dos transportes públicos, cujo dimensionamento é capaz de não estar totalmente ajustado ao incremento do número de turistas.
Os modelos alternativos de mobilidade ao conjunto dos transportes públicos urbanos ganham, neste contexto, uma relevância acrescida. Podem constituir-se como um elemento determinante na diluição de congestionamentos resultantes da incapacidade e inflexibilidade desta oferta tradicional em ajustar-se aos picos de procura.
Além disso, estas soluções alternativas poderão, desde que bem enquadradas, ajudar as autarquias na capacitação das pessoas – e dos turistas – para que evitem, sempre que possível, o uso de automóvel próprio para se deslocarem dentro da cidade, porque poderão complementar a resposta que hoje ainda não existe ao nível de densidade da oferta.
Os cidadãos agradecem e os turistas também, se as cidades forem capazes de lhes oferecer, além de um espaço público aprazível, uma rede de mobilidade eficiente, cómoda e adequada aos picos de procura e ao perfil dos vários utilizadores.
FONTE: [http://observador.pt/opiniao/os-desafios-do-turismo-e-a-mobilidade-urbana/]

quarta-feira, 1 de março de 2017

Turismo: os melhores lugares para nadar com tubarões

O tubarão pode ser um dos animais mais assustadores do planeta, mas isso não impede que muitos aventureiros programem suas férias com o objetivo de mergulhar com esses temidos animais.
De acordo com dados da rede britânica BBC, estima-se que o segmento turístico de mergulhos com tubarões movimente  500 milhões de dólares (cerca de 1,5 bilhão de reais) por ano no mundo.
As modalidades de mergulho variam de acordo com a audácia do mergulhador, passando pela simples observação de dentro de gaiolas a uma interação maior, alimentando os animais.
A rede BBC separou alguns dos principais lugares que oferecem esse tipo de turismo ao redor do mundo. Confira as opções e programe-se:

UFPA comemora Dia Nacional do Turismo com ciclo de debates

Clique e saiba como!


Estação das Docas é um dos pontos turísticos onde o visitante pode apreciar a paisagem do rio (Foto: Oswaldo Forte / O Liberal)

A Universidade Federal do Pará (UFPA) comemora o dia nacional do turismo com um debate aberto nesta quarta-feira (2). O ciclo de debates "Turismo e Transversalidades", realizado pelo Centro Acadêmico de Turismo, terá rodas de conversa e exposições de trabalhos científicos dos alunos da faculdade.
“É primordial comemorar essa data, pois o turismo é uma atividade que reflete a satisfação da população e está ligado ao prazer de viajar, conhecer lugares novos, culturas novas, tudo isso é importante para o bem estar humano”, afirma Denny Caldas, diretor de eventos do centro acadêmico.
evento é aberto ao público. Para participar, basta se inscrever no dia do evento. A programação começa 9h, com uma mesa redonda com os professores doutores Paulo Pinto, Silvia Cruz e Vânia Quadros, que discutirão a regulamentação da profissão. À tarde, às 15h, será realizada a apresentação de fotografias, trabalhos feitos por e para alunos de Turismo. Enquanto isso, às 15h30, ocorrerá a roda de conversa formada pelo professor Jorge Alex e pelas professoras Hilma Guedes e Juliana Hamony. Para encerrar a celebração, o “Cine Debate – Documentários” irá das 18h30 às 21h, com a professora Diana Alberto.
Serviço: 
I Ciclo de Debates: Turismo e Transversalidades será realizado nesta quarta-feira, no Bloco H do Campus profissional da UFPA Guamá, de 9h a 21h.

FONTE: [http://www.jornalfloripa.com.br/mundo/noticia.php?id=31133413]

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Cruzeiros reforçam crescimento do turismo internacional no Pará

Mais de 900 turistas dos Estados Unidos, Canadá e Inglaterra desembarcaram em Belém esta semana. Eles são passageiros do navio transatlântico Veendam e cumprem uma rota que começou na Guiana Francesa, chegou ao Brasil através de Belém e daqui, segue para Santarém e Manaus.

Vocalista de uma banda na cidade de San Diego, Califórnia, o americano Scott Woker se empolgou com o que viu, desde a janela do ônibus que levou os turistas do distrito de Icoaraci, onde o navio desembarcou, até o Ver-o-Peso, ponto de partida da excursão pela capital paraense. “Sempre tive curiosidade de conhecer a Amazônia e estou achando tudo muito exótico e bonito, mais do que imaginava”, disse o americano que estava acompanhado de um dos grupos da excursão. 
PUBLICIDADE
Foto: Cláudio Santos/Agência Pará

Na presença de um guia turístico, os gringos conheceram a rica diversidade de frutas e ervas curandeiras da Amazônia, além de serem apresentados às camisas de Remo e Paysandu. A canadense Gladys Vivian, 71 anos, ficou impressionada com o sabor genuíno da castanha do Pará. “Ela é muito crocante e saborosa. Bem diferente da que a gente come no Canadá, que é desidratada”, ressaltou a turista.

Os cruzeiros marítimos reforçam os números positivos do turismo paraense. Em 2016, mais de um milhão de turistas e R$ 700 milhões foram gerados com a atividade no Pará.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Estado desafiou a crise e repetiu a marca superior a um milhão de visitantes. Foram 916.267 turistas nacionais e 114.092 internacionais. Houve queda de 8% no fluxo de turistas nacionais, mas aumentou em 6% o de turistas internacionais. O fator decisivo para esse crescimento foi a temporada maciça de cruzeiros marítimos, que vai de outubro a maio. Só no ano passado, o Pará recebeu 24.736 visitantes internacionais, em quase 20 cruzeiros.

“O incremento dos cruzeiros é proporcionado por uma integração entre setores. A Setur traz uma comissão, que se reúne anualmente para poder incrementar esse processo e também servir como apoiadora e facilitadora desses cruzeiros quando chegam às cidades. Particularmente em Belém, Santarém e Soure”, informa o secretário de Turismo, Adenauer Góes.

“O Governo do Estado vem tendo um papel fundamental nesse crescimento, porque através da Secretaria de Turismo (Setur), está sempre presente em feiras internacionais, que é primordial para fazer a captação de mais clientes”, disse João Ribeiro, diretor de uma empresa de turismo local.

O crescimento de turistas estrangeiros no Pará também é resultado da estratégia do Governo do Estado de atrair e consolidar vôos internacionais, criados em 2014 e 2015, em rotas para Lisboa, Miami, Caiena e Paramaribo.

FONTE: [http://portalamazonia.com/noticias/cruzeiros-reforcam-crescimento-do-turismo-internacional-no-para]

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Parque do Jalapão tem novas regras para turismo

Parque localizado em Tocantins é um dos principais da região Norte

O parque estadual do Jalapão, em Tocantins, um dos principais destinos turísticos da Região Norte do País, tem novas regras para visitação, elaboradas para preservar o ecossistema local.
Entre as mudanças estão a proibição do uso de drones para filmagens e fotografias nas dunas, delimitação das áreas de nado e proibição da entrada de animais domésticos. As novas regras foram anunciadas pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e pretendem facilitar a fiscalização.
As lagoas próximas das dunas estão entre os locais cujo banho está proibido. A abertura de novas trilhas não será mais permitida. Sobre a entrada de animais domésticos, apenas cães guias usados para orientação de pessoas deficientes visuais serão autorizados.
O uso de bebidas alcoólicas e substâncias ilícitas nas dunas fazem parte da lista de proibições anunciadas pelo o órgão estadual de defesa do meio ambiente. As regras reforçam, ainda, proibições como alimentar e maltratar os animais silvestres, bem como retirar material da natureza e acender fogueiras dentro do parque.
Ensaios fotográficos de casamento e aniversários de 15 anos, por exemplo, continuam permitidos desde que previamente informados e autorizados. Não há restrições para fotos pessoais, exceto para fins comerciais.
A condução de turistas ao local só poderá ser feita por empresas cadastradas pelo Ministério do Turismo. As regras dão mais segurança ao turista, que terá assistência de empresas regularizadas operando no Jalapão. O conjunto de medidas aumenta a visão e a credibilidade das operadoras, contribuindo para o desenvolvimento do turismo sustentável da área de conservação.
De acordo com o Naturatins, 11 empresas operadoras de turismo do estado são cadastradas para operar no Jalapão, mas o número de agências que trabalham na informalidade é bem maior.
Roteiro
Parque Estadual do Jalapão é uma área remota do leste do Tocantins de beleza exuberante e muitos atrativos naturais. Entre os destaques para visitação turística estão o fervedouro, a cachoeira da velha e as dunas.
O acesso aos locais é difícil, e as visitas são feitas por agências especializadas no roteiro de ecoturismo e turismo de aventura. Os pacotes variam de acordo com os atrativos a serem visitados e o número de dias.
Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério do Turismo

FONTE: [http://www.brasil.gov.br/turismo/2017/02/parque-do-jalapao-tem-novas-regras-para-turismo]

Turismo lança campanha contra exploração sexual

Exibir carrossel de imagensFernando Maia/RioturEm 2016, foram registrados 77.290 relatos de violação dos direitos das crianças e adolescentes
Em 2016, foram registrados 77.290 relatos de violação dos direitos das crianças e adolescentes
O Ministério do Turismo (MTur) lançou, nesta terça-feira (14), a campanha "Proteger, Respeitar e Garantir - Todos Juntos pelos direitos das crianças e adolescentes". A iniciativa quer incentivar denúncias contra qualquer caso de abuso ou exploração de crianças e adolescentes, por meio do Disque 100.
A campanha, feita em parceria com a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, contará com três vídeos que serão divulgados nas redes sociais. O Ministério do Turismo também articula junto às empresas áreas a possibilidade de elas veicularem as peças nas TVs de bordo.
“Não podemos permitir que o turismo, uma atividade econômica que gera milhões de empregos, seja usado como plataforma para criminosos explorarem as nossas crianças e adolescentes. Quanto mais pessoas conseguirmos envolver nessa rede de proteção, melhor”, destacou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.
Apesar do lançamento ser focado no carnaval, as peças serão produzidas de maneira que possam ser reproduzidas ao longo de todo o ano.
“Ela pretende promover uma mudança cultural no País, a partir do esclarecimento do conceito ‘violação de direitos da criança e do adolescente’ e o Ministério do Turismo é um importante parceiro que protagoniza novamente a defesa dos direitos da criança e do adolescente”, destacou a secretária Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Claudia Vidigal.
Denúncias
Em 2016, foram registrados 77.290 relatos de violação dos direitos das crianças e adolescentes. O número é 3% menor em relação ao registro do ano anterior. O período entre 5 e 24 de fevereiro de 2016, temporada de carnaval, foi responsável por 17,4% de todas as denúncias do ano. Os dados são da Ouvidoria da Secretaria.
Após serem examinadas, as denúncias recebidas são encaminhadas para as autoridades competentes. O Disque 100 funciona 24 horas todos os dias da semana. O anonimato é garantido.
Fonte: Portal Brasil, com informações do MTur
FONTE: [http://www.brasil.gov.br/turismo/2017/02/turismo-lanca-campanha-contra-exploracao-sexual]

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

MP sugere a Ministério convênio para combater turismo sexual em AL

MPO Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) sugeriu que um convênio fosse formalizado com o Ministério do Turismo, nos próximos dias, para que as duas instituições se unam no combate ao turismo sexual aqui no Estado. O assunto foi debatido nesta sexta-feira (27), durante visita de cortesia feita pelo ministro Marx Beltrão, que é alagoano, ao procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.

“O turismo sexual é um problema presente na realidade brasileira e, sendo Alagoas um destino turístico, é necessária uma vigilância permanente dos órgãos de fiscalização para o aprimoramento efetivo do enfrentamento a tal grave questão”, explicou Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.
A proposta do MPE/AL foi recebida com entusiasmo pelo ministro de Turismo. “Assumo o compromisso de formalizarmos o convênio. Teremos uma nova reunião, às 15h da quarta-feira da semana que vem, em Brasília, para que possamos discutir tecnicamente esse tema. Vamos elaborar os critérios e medidas que serão adotadas a fim de que assinemos esse termo de cooperação o mais rápido possível”, disse Marx Beltrão.
O turismo sexual
O Brasil é signatário de várias medidas protetivas para tentar coibir o turismo sexual em seu território nacional. Ele participou, por exemplo, da Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional Relativo à Prevenção, Repressão e Punição do Tráfico de Pessoas, em Especial Mulheres e Crianças e da Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW). Porém, apesar disso, o problema ainda não foi sanado.
“A ideia é que esse trabalho possa ocorrer de forma preventiva, com o intuito de evitar que Alagoas se transforme numa rota do turismo sexual e exploração infanto-juvenil, como já acontece em outras capitais do Nordeste”, declarou o chefe do Ministério Público.
A Organização Mundial do Turismo (OMT) descreve o turismo sexual como viagens organizadas dentro do seio do setor turístico ou fora dele, utilizando, no entanto, as suas estruturas e redes, com a intenção primária de estabelecer contatos sexuais com os residentes do destino.

FONTE: [http://www.alagoas24horas.com.br/1031755/mp-sugere-ministerio-convenio-para-combater-turismo-sexual-em-al/]